Atenção compartilhada: meu filho tem essa habilidade?

3 minutos para ler

Gostaria primeiramente de me apresentar: meu nome é Jussara Blunck e sou fonoaudióloga. Também quero agradecer ao convite de papear um pouco nesse espaço, e falar sobre atenção compartilhada. Acredito muito no poder da rede social como propagadora de informações valiosas.

Em minha experiência com TEA percebo muita angústia e dúvida nos pais e cuidadores na hora do diagnóstico. Há sempre muitas perguntas e anseios em relação ao futuro e eu costumo dizer pra olharmos o hoje. Sei que não é fácil, sou mãe de duas meninas e a preocupação em como será a vida delas amanhã tira o sono, e nesse momento eu digo a vocês: apoderem-se das informações. Quanto mais entendimento sobre seu filho, melhor!

Nessa eterna busca de conhecimento, gostaria de conversar sobre uma habilidade social e comunicativa: a Atenção Compartilhada. Muito se fala disso, nas leituras, nos consultórios, mas o que eu vejo é uma distância entre a informação e o reconhecimento dessa habilidade na criança. Certamente esse comportamento é um marcador de risco importante para o autismo e quando não o percebemos devemos ligar o alerta e observar mais atentamente essa criança.

Mas finalmente, o que é Atenção Compartilhada? Será que meu filho tem essa habilidade?

Vamos refletir um pouco: seu filho compartilha os interesses dele com você? Quando ele vê um brinquedo legal, ele pega e vem lhe mostrar? Ele desenha ou rabisca algo e te mostra? Quando passa um caminhão na rua e ele acompanha com o olhar, ele aponta o caminhão pra você buscando seu interesse? Ou talvez olhe pro caminhão e depois pra você e faz algum gesto, como um sorriso? Você consegue perceber claramente a intenção dele em buscar sua atenção?

Por exemplo: seu filho começa a cantarolar alguma música e olha pra você uma ou algumas vezes pra descobrir se você está realmente prestando atenção nele cantando?  Ou explanando de outra maneira: seu filho te convida pra brincar?

Percebam que nesses casos a criança apresenta iniciativa em dividir o interesse dela com você, seja um brinquedo, objeto ou ação. Em outras palavras, existe o propósito por parte da criança em compartilhar.

E o inverso, também é Atenção Compartilhada?

Quando a situação é contrária, ou seja, quando você convida seu filho pra brincar, ele se engaja na brincadeira?

Estamos igualmente falando de Atenção Compartilhada aqui, a questão é: a criança responde as suas propostas de atividade? Ela compartilha dos seus interesses? Por exemplo, ao chamá-la para brincar de bola e mostrar a bola, ela joga a bola pra você e espera que você jogue de volta? Quer dizer, troca turnos? Ou apenas pega a bola da sua mão e o interesse dela permanece restrito unicamente a explorar a bola ignorando sua intenção de atividade?

Colocando de outra forma, quando você tenta interagir com seu filho, por exemplo, apontando um brinquedo, ele segue seu gesto de apontar? Pega o brinquedo e brinca com você? Ou pega e olha pra você demonstrando que divide o mesmo interesse?

Concluindo…

Enfim, a Atenção Compartilhada abrange uma compreensão de si mesmo e das pessoas ao redor. E certamente a Atenção Compartilhada é muito importante no desenvolvimento da linguagem.

Um abraço carinhoso em todos.

Email: jussarablunck@hotmail.com 
Instagram: jussarabfono
Atendimento em Paulo Afonso  – BA (75) 98839-6143 – Whatsapp

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Powered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.