Neuroplasticidade cerebral e poda neural

4 minutos para ler
aplicativo autismo legal

Quando falamos no processo de desenvolvimento cerebral ligado a aprendizagem, uma das questões de grande relevância são os processos de poda neural e neuroplasticidade. Mas afinal, o que é isso?

Desde o nosso nascimento, nosso cérebro já inicia o processo de formação de circuitos neurais. Esses circuitos são formados pela ligação de neurônios, em uma composição semelhante a uma teia e são chamadas de sinapses.

Acontece que, nesta fase inicial do desenvolvimento, uma criança apresenta pelo menos o dobro de sinapses que um adulto. Isso porque à medida que o indivíduo vai crescendo, vai recebendo estimulações em algumas conexões enquanto outras áreas não são estimuladas.

O cérebro então reconhece as sinapses mais estimuladas como essenciais para a sobrevivência da criança e vai criando memórias a partir delas. Devido ao imenso consumo de energia que é exigido pelo cérebro, é necessário que haja uma “limpeza” nesses circuitos. Logo, as sinapses que estão sendo menos utilizadas acabam sendo reconhecidas como descartáveis e por isso ocorre a morte desses neurônios.

Quando acontece a poda neural?

Esse processo é o que chamamos de poda neural ou apoptose. Ele acontece inúmeras vezes ao longo da vida, porém as podas mais intensas acontecem na primeira infância, nas idades médias de 3, 5 e 7 anos.

e-book gratuito - direitos do autista

Devido a dificuldades nos processos de aprendizagem da criança com TEA, os efeitos dessa poda podem ser um pouco mais significativos no desenvolvimento e manutenção de habilidades, pois podem resultar na perca de algumas habilidades já adquiridas, mas que são pouco utilizadas no dia-a-dia da criança.

Felizmente, apesar da morte dos neurônios ser um processo irreversível não significa que seja um quadro imutável. Isso porque devido a neuroplasticidade cerebral nós conseguimos fazer intervenções que são eficazes para o desenvolvimento das habilidades perdidas e também de novas habilidades. Com treinamento, repetições e estimulações adequadas, conseguimos recuperar grande parte dessas habilidades.

O que é neuroplasticidade?

A isto chamamos de neuroplasticidade, que é a capacidade adaptativa de nosso cérebro, é o processo que facilita a aprendizagem de novos comportamentos e a regeneração de informações que nos são necessárias ao longo de nossa vida.

A melhor forma de evitar perdas de habilidades devido ao processo de poda neural, é então exigir de seu filho que use as habilidades aprendidas na maior diversidade de ambientes e situações possíveis, por exemplo: pedir que a criança aponte para o copo de água ou fale o nome dos objetos que deseja antes de entregá-lo (mesmo tendo entendido o pedido de outra forma), fazendo assim com que as cadeias de circuitos ligadas aquela habilidade sejam fortalecidas e ampliando os repertórios comportamentais.

Agora, se você ou os terapeutas de seu filho observaram que aconteceram perdas significativas de algumas das habilidades que ele já tinha adquirido, pode ser resultado de uma dessas podas neurais. Mas, não é necessário entrar em pânico, observar quais foram os comportamentos que a criança deixou de apresentar e voltar a estimular a criança com atividades que ajudem no desenvolvimento dessas habilidades irá ativar esta capacidade adaptativa, fazendo com o que cérebro entenda que aquelas habilidades são necessárias e fortalecendo novamente estes circuitos.

Sua participação como pai ou cuidador é fundamental neste processo!

Faça o download deste post inserindo seu e-mail abaixo

Não se preocupe, não fazemos spam.
Amanda Elias de Oliveira Costa
Psicóloga Analista do Comportamento
Contatos: email: amanda.eoc@gmail.com
Instagram: @amandaeoliveir
Telefone: (82) 99932-3417
Atendimentos: Maceió e Arapiraca – Alagoas
Posts relacionados

Deixe um comentário