Vagas de emprego para autistas

5 minutos para ler

A pessoa autista pode trabalhar?

Claro que sim! Sabemos que os potenciais podem ser incríveis!

Quem é autista ou quem convive com uma pessoa autista, sabe o quanto ela pode ser capaz, portanto, vamos falar mais sobre vagas de emprego para autistas nesse artigo.

A Lei 8.213/91 no seu artigo 93, determina que: “a empresa com 100 ou mais empregados está obrigada a preencher de 2% a 5% de seus cargos com beneficiários reabilitados ou pessoas portadoras de deficiência.”

  • até 200 empregados: 2%
  • de 201 a 500 empregados: 3%
  • de 501 a 1000 empregados: 4%
  • acima de 1001 empregados: 5%

Como sabemos, a Lei 12.764 de 27/12/2012 determinou que a pessoa com transtorno do espectro autista é considerada pessoa com deficiência para todos os efeitos legais, portanto, as pessoas com autismo podem concorrer a vagas PCD.

Encontrando a vaga de emprego para autistas

Existem várias agências de emprego nas grandes capitais, especializadas em seleção e contratação de pessoas com deficiência.

Entretanto, se você não estiver em grandes capitais, não se preocupe, todas as agências de emprego têm vagas para pessoas com deficiência e as pessoas autistas têm a possibilidade de trabalhar, estar em contato com o mercado de trabalho e desenvolver-se de uma forma ilimitada, supervisionados pela empresa, quando necessário.

A empresa tem responsabilidade legal sobre o empregado com deficiência e lembre-se, as empresas com mais de 100 empregados são obrigadas por lei a preencher de 2 a 5% das vagas com empregados reabilitados ou pessoas com deficiência.

Trabalhadores autistas com menos de 18 anos

É importante lembrar que não é permitido o trabalho para pessoas com menos de 18 anos.

Entretanto, existe ainda a possibilidade da pessoa autista trabalhar como menor aprendiz. Neste caso, a partir de 14 anos, desde que estejam cursando o ensino fundamental ou ensino médio.

Para encontrar um local para o autista trabalhar como menor aprendiz, procure o CIEE – Centro de Intregração Empresa-Escola pelo site www.ciee.org.br, por exemplo.

Trabalhadores autistas com mais de 18 anos

Para procurar vaga de emprego para autistas existe uma infinidade de agências.

Primeiramente, recomendamos que você faça uma pesquisa pelo Google mesmo, digitando: “vaga emprego autista” e o nome da sua cidade, acredite, você se surpreenderá com a quantidade de oferta de vagas.

Enfim, muitas empresas descobriram a capacidade dos nossos autistas.

Existe uma empresa dinamarquesa incrível, com representatividade em vários países, que não somente ajuda os autistas a serem empregados, mas também oferecem treinamentos para que os autistas possam estar aptos a entrar no mercado de trabalho.

Esta empresa também prepara a empresa para receber o autists e conseguir tirar dele todo o potencial que ele tem a oferecer. Você pode pesquisar diretamente no site http://br.specialisterne.com/

É necessário falar sobre o diagnóstico?

Essa é uma pergunta que recebemos diariamente e a resposta é: não necessariamente.

A pessoa autista não é obrigada a se identificar como autista.

Claro que existem empresas que não fazem isso, entendem o potencial de cada empregado, de acordo com suas características, mas nem todas são assim.

Infelizmente, alguns autistas têm relatado que após informar sobre o diagnóstico, alguns colegas de trabalho ou mesmo a chefia, começam a tratá-los de forma infantilizada, conferindo o serviço que antes não era conferido, entre tantos outros inconvenientes.

Em razão disto, é extremamente importante entender que a pessoa autista pode concorrer a vagas PCD, mas também pode concorrer às outras vagas, sem qualquer obrigatoriedade de identificar sua condição.

Em quais situações é preciso informar sobre o diagnóstico?

Se a pessoa autista está concorrendo à vaga PCD, obviamente, precisa informar sua condição, documentada através de laudo médico.

Sabemos que muitas pessoas autistas necessitam de adaptações no ambiente de trabalho. Algumas adaptações estão relacionadas à questões sensoriais, outras de comunicação, outras em relação às rotinas, etc.

Solicitando adaptações no ambiente de trabalho

Todas as adaptações necessárias para que a pessoa autista possa exercer seus direitos e liberdades fundamentais e realizar seu serviço em igualdade de condições com às demais pessoas, precisa atender aos seguintes critérios:

  • comprovar a necessidade através de laudo médico ou relatório terapêutico;
  • solicitar a adaptação necessária por escrito ao Departamento Pessoal da empresa.

Desde que preenchido os requisitos acima, a pessoa autista tem o direito à adaptação para que possa exercer sua função, seu trabalho em igualdade de condições com as demais pessoas.

E não é somente isso. Caso a empresa negue atender à esta necessidade da pessoa autista, isso pode ser caracterizado como discriminação, de acordo com o artigo 3o, VI; 4o, § 1º da Lei 13.146/2015, Lei Brasileira de Inclusão, também conhecida como Estatuto da Pessoa com Deficiência.

Outros links interessantes

O Ministério do trabalho preparou um manual muito interessante sobre a lei de cotas através de perguntas e respostas.

Para saber mais sobre a Lei do Aprendiz acesse http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L10097.htm

Leia também:

Direitos do autista na escola
Medicação gratuita para pessoas com autismo

Print Friendly, PDF & Email
e-book gratuito - direitos do autista
Posts relacionados

30 thoughts on “Vagas de emprego para autistas

    1. Boa noite Gostaria de informações trabalhei como 21 anos Pessoa como depois descobri que sou autista agora trabalho como pcd para tempo de contribuição previdencia vai da problema eu mim aposentadoria

  1. Minha irmã não tem um diagnostico fechado, um laudo.
    Por onde devo começar?
    Gostaria muito de tentar ajudar a encontrar algo que ela pudesse fazer, ela demonstra vontade de trabalhar como todas as pessoas que ela conhece.

    1. Jogue no google, vagas de trabalho PCD
      Em grandes cidades existem agencias especializadas somente nisso
      Todas as agencias de emprego tem vagas para PCD, grandes empresas precisam preencher essas vagas
      Aí vai depender do que ela sabe ou gosta de fazer, mas tem muita coisa
      Depois nos conte como foi, combinado?
      Estamos torcendo para que ela encontre um emprego bom, com pessoas bem legais!

  2. Olá!
    Gostei muito de conhecer a sua página.
    Mas para mim, não ficou claro…
    Os direitos dos autistas no Ensino Superior, são os mesmos do ensino fundamental, médio e técnico?

    1. Sim, desde que comprove a necessidade.
      A única diferença no ensino superior é quanto ao conteúdo, pois a pessoa entrará no mercado de trabalho, portanto, o conteúdo deve ser o mesmo.
      Quanto a avaliação e ensino pode ser individualizado, desde que necessário.

  3. tenho um filho , pelo qual fiz vários tratamentos psicologicos , e nunca foi diagnosticado nada, mas sempre teve deficiência em acompanhar outras crianças na escola, agora aos 21 anos que comecei a ler sobre o autismo e notei que tem vários sintomas do autista, acabou de se formar em TI (técnico)., mas queria saber se para conseguir vaga especializada, precisa de comprovação médica

  4. Olá,

    Em casos de autismo, o laudo neuropsicológico emitido por psicólogo privado é o que basta para candidatar-se e preencher as vagas reservadas aos PCDs ou é necessário algum documento adicional assinado por um psiquiatra ou neurologista [no meu caso, ambos também privados] ?

  5. Olá, boa tarde.Eu tenho 40 anos e me descobri autista leve,eu gostaria de saber,se eu posso me conditar a empregos(Pcd) ou em concursos;nas cotas de deficiente mental.No entando na lei federal diz:que deficiente mental e quem e diagnosticado antes dos 18 anos!?

    1. A legislação sobre concurso não é muito recente.
      Você pode se candidatar sim.
      É necessário apresentar o laudo médico comprovando o autismo (não é necessário ter o diagnóstico com menos de 18 anos).

  6. Nos sites das empresas trabalhe conosco tem opção PCD e é obrigatório assinalar se é Deficiencia: auditiva, visual, intelectual, mental
    Qual eu assinalo para o TEA (asperger)?

    1. Infelizmente a maioria não coloca o autismo.
      Pode selecional o mental, mas identifique de forma visível que vc é asperger.
      Tente procurar empresas que trabalham com aspergers, muitas já desenvolveram essa cultura.

    1. Quando se faz terapias, existem objetivos a serem alcançados e o tempo esperado pra isso.
      Essa informação precisa estar clara para os pais para que seja quantificada a evolução.
      Se vc não percebe nenhuma evolução, está na hora de conversar mais abertamente com o terapeuta.
      Quanto a alta das terapias, é bem complicado falar sobre isso, porque o autismo tem um tratamento ao longo da vida, mas se o profissional está dando alta, vai precisar documentar isso e o motivo.

  7. Bom dia!!!
    Moro em Brasília, tenho uma filha autista com 26 anos de idade, super inteligente, pouco comprometida, diagnóstico: Autismo infantil, antigo Síndrome de Asperger… Precisamos muito de dicas de como inseri-la no mercado de trabalho. Na prática, infelizmente, existem muitas dificuldades para empregar um autista, apesar da legislação que obriga o percentual nas empresas, há também muito sites suspeitos ofertando vagas, e quando conseguimos as entrevistas, fica evidente que as empresas não estão preparadas para empregar e manter empregadas as pessoas com deficiências do TEA. Sabemos o quanto é importante ter o tempo ocupado, a mente trabalhando, e todos os benefícios que o emprego traz para o desenvolvimento pessoal… As vezes vou trabalhar e não consigo me concentrar porque ela fica em casa o dia inteiro… Já faz bastante tempo que ela está desempregada. O risco de surtos mais agudos ronda-nos constantemente. É um absurdo o que passamos no Brasil!!! Por favor, nos ajude.

    1. Sim, a sociedade em geral não conhece o autismo, consequentemente, a maioria das empresas estão muito despreparadas.
      Sugiro procurar grandes empresas, bancos, multinacionais ou grandes redes.
      Essas empresas normalmente tem uma estrutura mais diferenciada que promove a inclusão no mercado de trabalho.

  8. Descobrimos que meu filho de 27 anos tem TEA nível 1, preciso fazer a inclusão dele no banco de dados Nacional de Inclusão de Pessoas com Deficiência para ter acesso facilitado as vagas para pcd no mercado de trabalho?

    1. Não necessita.
      Você vai incluir a condição do autismo no currículo dele e busque grandes empresas, elas normalmente eles tem mais vagas e muitos fazem a inclusão de forma mais adequada.

  9. sou de brasilia tenho uma filha de 24 anos, diagnosticada agora com autismo – porém ela é idependente e trabalha, ela tem direito a desconto no ipva e compra de veiculo, como proceder? tentei acessar o conteudo acessando a imagem mas não consegui

      1. Ola

        Tenho 32 anos e recentemente fui diagnosticado com autismo conforme descrito: “(CID F84 / CID 11 – 6A02.0 – TEA sem deficiência intelectual e com comprometimento leve ou ausente de linguagem funcional (Nível 1 de suporte)”

        Contudo ao apresentar a área de saúde da empresa fui informado que não me enquadro na lei de cotas do MTE. Isso procede?

Deixe um comentário